Esclarecendo nossas contas

Por Amaury Martins por vice-presidente Administrativo

Em 15/06/2012 a ABM recebeu da Construtora Calçada a importância de R$ 90.000,00 como indenização pela demolição da pista de skate. Este valor foi aplicado no Fundo Itaú Premium DI, junto ao Banco Itaú, que foi bloqueado à época, por força Estatutária. Em 02/10/14 o valor líquido está em R$ 105.578,51.

Na AGE de 21/11/2012, a referida verba atualizada foi liberada para a reforma de um salão inteiramente deteriorado pelo tempo e que seria transformado em Salão de Eventos na área da rua Jornalista Henrique Cordeiro. Terminada esta obra o saldo remanescente, somado a 50% do Fundo de Reserva, conforme ainda determinado naquela AGE seria utilizado para construção de uma piscina infantil na sede.

Quando fomos solicitar a licença para realização das referidas obras a Prefeitura (Secretaria Municipal de Obras), para surpresa nossa, intimou-nos a providenciar a legalização das construções existentes nas 3 áreas ocupadas pela ABM. Na ocasião fomos orientados a não assentarmos um tijolo que fosse, em qualquer daquelas áreas sem a autorização de licença. Assim, foram suspensas todas as providências para a realização das obras.

Desta forma passamos a providenciar a licitação para contratação de um arquiteto para confecção de todas as plantas necessárias para obtermos a legalização solicitada. Em agosto de 2013, foi concluída a execução dos projetos e plantas em AutoCad, quando então passamos a tratar da parte burocrática da legalização.

A Secretaria Municipal de Urbanismo, em janeiro de 2014, deu como legalizada as construções existentes nas 3 áreas ocupadas pela ABM. Em seguida, tratamos da obtenção da licença para as obras da rua Jornalista Henrique Cordeiro e da piscina infantil. Com tudo “de acordo”, fomos surpreendidos, após um temporal, com desabamento do teto do Salão Nelson Gallo, bem como problemas elétricos em toda área da sede (Av. Afonso Arinos, 393).

Tudo sanado, iniciamos a licitação para a obra do salão da Henrique Cordeiro, que deverá ficar concluída até meados do mês que vem.

Em 05/06/2013 a ABM recebeu da CEDAE, por força de uma ação judicial, a importância de R$ 396.549,02, que foi aplicada no Fundo Itaú Empresa Trust DI, junto ao Banco Itaú.

Em 02/10/14 este valor monta em R$ 439.413,76 (líquido), e por força estatutária está bloqueado e somente poderá ser liberado com autorização de Assembleia do CGA.

Visando melhorar as instalações da ABM, após licitação, foi contratada uma arquiteta que está finalizando projeto para a construção de um salão multiuso que terá a finalidade de descentralizar diversas atividades esportivas e sociais, que são realizadas no Salão Nelson Gallo.

No projeto constam, também, as seguintes construções:

a) vestiários para os colaboradores (masculino e feminino);

b) benfeitorias do refeitório dos funcionários;

c) piscina infantil coberta (utilizando uma parte do valor da obra da Henrique Cordeiro, 50% do fundo de reserva e parte da verba da CEDAE);

d) vestiário infantil na área da piscina infantil.

Para estas obras convocaremos, em breve, Assembleia Geral Ordinária do CGA para aprovação e liberação da verba recebida da CEDAE e respectiva valorização. Assim, apesar de constar um numerário elevado em nossas apresentações de contas ele está retido até a efetiva liberação pela Assembleia do CGA.